65 Riscos dos Alimentos Geneticamente Modificados Parte 2

65 Riscos dos Alimentos Geneticamente Modificados Parte 2

65 riscos dos alimentos geneticamente modificados parte 2. A inserção do gene interrompe o DNA e pode criar problemas de saúde imprevisíveis.

DNA da alimentação resumo

Riscos dos alimentos geneticamente modificados parte 2

2.1 Genes estranhos interrompem o DNA no local de inserção

riscos dos alimentos geneticamente modificados parte 2

1. Quando os genes são inseridos aleatoriamente no DNA, sua localização pode influenciar sua função, bem como a função dos genes naturais.
2. “Mutações de inserção” podem embaralhar, excluir ou realocar o código genético próximo ao local de inserção.
3. A avaliação dos sítios de inserção mostrou deslocamentos de até 40.000 pares de bases de DNA, misturando DNA de hospedeiro e estranho, deleções em larga escala de mais de uma dúzia de genes e múltiplas inserções aleatórias de fragmentos de DNA estranhos.

2.2 Cultivo de OGM usando cultura de tecidos pode criar centenas ou milhares de mutações de DNA

1. O processo de crescimento de células vegetais em plantas GM pode criar centenas ou milhares de mutações em todo o genoma.
2. Embora uma mudança em um único par de bases possa ter sérias conseqüências, mudanças generalizadas no genoma podem ter múltiplos efeitos de interação.
3. A maioria dos cientistas que trabalham no campo não tem conhecimento da extensão dessas mutações, e nenhum estudo examinou as mudanças no genoma em plantas transgênicas comercializadas.

2.3 Inserção de genes cria mudanças na expressão gênica em todo o genoma

1. Um estudo usando um chip de microarray revelou que 5% dos genes do hospedeiro alteraram seus níveis de expressão após a inserção de um único gene.
2. As mudanças, que são adicionais às deleções e mutações já discutidas, não são previsíveis e não foram totalmente investigadas nos cultivos GM no mercado.
3. Essas mudanças maciças podem ter múltiplos efeitos relacionados à saúde.

2.4 O promotor pode ligar acidentalmente genes prejudiciais

1. Promotores são interruptores que ativam genes.
2. O promotor usado em quase todas as culturas GM é projetado para ativar permanentemente o gene estranho com alto rendimento.
3. Embora os cientistas afirmassem que o promotor só ligaria o gene estranho, ele poderia ligar acidentalmente outros genes naturais da planta – permanentemente.
4. Esses genes podem produzir em demasia um alérgeno, toxina, carcinógeno ou antinutriente, ou reguladores que bloqueiam outros genes.

2.5 O promotor pode ligar um vírus dormente nas plantas

1. Quando certos vírus infectam um organismo, eles se encaixam no DNA do hospedeiro.
2. Estas seqüência virais embutidas podem ser passadas para gerações futuras e até mesmo herdadas por futuras espécies.
3. A maioria das antigas sequências virais embutidas sofre mutação ao longo do tempo, mas algumas podem estar intactas, simplesmente não ativadas.
4. Se o promotor GM for inserido na vizinhança de um vírus dormente, ele poderá ser ligado, resultando na produção de vírus e uma possível catástrofe.

2.6 O promotor pode criar instabilidade genética e mutações

1. Evidências sugerem que o promotor CaMV, usado na maioria dos alimentos GM, contém um hotspot de recombinação.
2. Se confirmado, isso pode resultar em quebra e recombinação da sequência do gene.
3. Esta instabilidade do material genético inserido pode criar efeitos imprevisíveis.

2.7 A engenharia genética ativa o DNA móvel, chamado transpósons, que gera mutações

1. No DNA da planta, os elementos móveis chamados transposons se movem de um lugar para outro e podem levar a mutações.
2. O processo de cultura de tecidos utilizado na engenharia genética ativa os transposons e é um fator importante para as mutações genômicas resultantes.
3. Transgenes em culturas GM comerciais tendem a ser inseridos perto de transposons.
4. Esta inserção pode alterar a expressão do transgene.

2.8 O RNA novo pode ser prejudicial aos seres humanos e seus descendentes

1. Pequenas seqüências de RNA podem regular a expressão gênica, mais comumente silenciando genes.
2. O RNA é estável, sobrevive à digestão e pode afetar a expressão gênica em mamíferos que o ingerem.
3. O impacto pode ser passado para as gerações futuras.
4. A modificação genética introduz novas combinações de DNA e mutações, que aumentam a probabilidade de RNA regulatório prejudicial ser produzido acidentalmente.

2.9 A soja Roundup Ready produz variações não intencionais de RNA

1. Um “sinal de parada” é colocado após o transgene, dizendo à célula: “PARE DE TRANSFERIR NESTE PONTO.”
2. A parada é ignorada no soja GM, resultando em um ARN mais longo do que o desejado.
3. É transcrito a partir de uma combinação do transgene, um fragmento de transgene adjacente e uma sequência mutada de DNA.
4. O RNA é rearranjado em quatro variações, sendo que qualquer uma delas pode ser prejudicial.
5. O sinal “stop” com falha pode ter acionado os rearranjos.
6. O mesmo sinal de “parada” é usado em outras culturas e pode levar a “read-throughs” e processamento de RNA semelhantes.

2.10 Alterações nas proteínas podem alterar milhares de substâncias químicas naturais nas plantas, aumentando as toxinas ou reduzindo os fitonutrientes

1. As plantas produzem milhares de substâncias químicas que, se ingeridas, podem combater doenças, influenciar comportamentos ou ser tóxicas.
2. As alterações do genoma descritas nesta seção podem alterar a composição e
concentração desses produtos químicos.
3. A soja transgênica, por exemplo, produz menos isoflavonas que combatem o câncer.
4. A maioria das mudanças induzidas por GM nesses produtos naturais não é detectada.

2.11 As culturas GM alteraram os níveis de nutrientes e toxinas

1. Numerosos estudos sobre OGMs revelam mudanças não intencionais em nutrientes, toxinas, alérgenos e produtos de moléculas pequenas do metabolismo.
2. Estes demonstram os riscos associados a mudanças não intencionais que ocorrem devido à engenharia genética.
3. As avaliações de segurança não são adequadas para prevenir possíveis riscos à saúde associados a essas mudanças.

Fonte original: Aqui

Continue a leitura para ver o artigo completo com 8 partes links abaixo, antes deixe sua avaliação, comente e compartilhe!                                                                                                       PARTE 3 >> 

Quantas estrelas merece esse artigo? Avalie!

Os riscos documentados para a saúde de alimentos geneticamente modificados

Parte 1: Evidência das reações em animais e humanos
Parte 2: Inserção de genes perturba o ADN e pode criar imprevisível problemas de saúde
Parte 3: A proteína produzida pelo gene inserido pode criar problemas
Parte 4: A proteína pode ser diferente do que é pretendido
Parte 5: Transferência de genes para bactérias intestinais, órgãos internos ou vírus
Parte 6: Cultivos GM podem aumentar toxinas ambientais e bioacumulam toxinas na cadeia alimentar
Parte 7: O leite de vaca carregam riscos á saúde 
Parte 8: Os riscos são maiores para crianças e recém-nascidos

 

Tenho Certeza Que Você Vai Gostar Também

Sem comentários

Deixe uma resposta